fbpx

Panfletagem é proibida em São Paulo: entenda

panfletagem

O decreto, publicado no Diário Oficial, impede a panfletagem de folhetos, panfletos ou qualquer tipo de material impresso com mensagens publicitárias

Panfletos, folhetos, encartes… esses são meios de divulgação muito comuns, de baixo custo e fácil manuseio. Essas mídias são utilizadas para atingir grandes públicos em pouco tempo. Normalmente, a entrega dos panfletos é feita através da panfletagem – ou seja, são contratadas pessoas que ficam entregando o material em pontos estratégicos, como ruas, praças, semáforos e outros lugares que tenham muita movimentação de pessoas.

Existem pelo menos três tipos de panfletos, cada um com o seu propósito. Os panfletos de divulgação normalmente são distribuídos para divulgar um novo estabelecimento, ou promoções em estabelecimentos já existentes, como restaurantes, por exemplo. O panfleto informativo já serve para passar informações sobre diversos assuntos. Panfletos criativos costumam atrair mais os olhos dos possíveis clientes e chamar mais a atenção para a informação ali inserida.

Também há diferença em relação ao tipo de panfletagem. A mais comum é a panfletagem tradicional, onde o objetivo é entregar o folder para a maior quantidade de clientes possíveis. Já a direcionada visa entregar a um alvo específico. Há, ainda, a panfletagem abordada, onde ao entregar o material, aborda-se o receptor e se explica o conteúdo promocional apresentado na campanha.

No entanto, não é raro ver panfletos amassados e jogados no chão, poluindo as ruas e entupindo bueiros. Também não é difícil ver esse material ser jogado indiscriminadamente em calçadas, varandas de residências, garagens e quintais, especialmente no centro da cidade. Essas são algumas das desvantagens da panfletagem

Levando em consideração algumas dessas questões, em janeiro deste ano, a Prefeitura de São Paulo proibiu a panfletagem de propagandas. O decreto, publicado no Diário Oficial, impede que folhetos, panfletos ou qualquer tipo de material impresso com mensagens publicitárias, entregues manualmente ou de qualquer outra forma, sejam distribuídos na cidade. 

O texto regulamenta uma lei de 2007, elaborada pelo Executivo municipal, sob a gestão do então prefeito Gilberto Kassab. Quem descumprir a lei, terá de pagar uma multa de R$5 mil. Além disso, o material impresso será apreendido. Caso o infrator volte a distribuir o material impresso após uma hora da primeira autuação, ele será considerado reincidente e receberá multa em dobro. Se, ainda assim, o infrator insistir, a prefeitura poderá aplicar nova multa de hora em hora.

Segundo o texto, o responsável pela operação, e não seu operador, será multado. “Havendo a indicação de mais de um beneficiário ou responsável pela divulgação do produto ou serviço por meio do material publicitário, o auto de multa deverá indicar apenas um infrator, de forma a não autuar mais de um responsável pela distribuição do mesmo material”, afirma o documento.

A proibição não é novidade no país. Desde 1998 a panfletagem é proibida na cidade de Fortaleza, no Ceará, com base na Lei 8221/1998 (Lei de Publicidade e Propaganda do Município de Fortaleza). Quem for pego descumprindo a lei está sujeito a multa, cancelamento da licença e a remoção do anúncio.

Na cidade de Curitiba, no Paraná, a Prefeitura proíbe a entrega de panfletos em qualquer via pública. Caso seja identificada a infração, a empresa responsável pelo anúncio é notificada e recebe uma multa de R$586. Caso a situação seja reincidente, o valor dobra. De acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo, o acúmulo de lixo e o conflito no trânsito – visto que a panfletagem geralmente acontece nos sinais, são os principais motivos da proibição.

O mesmo acontece em Belo Horizonte desde 2012. A distribuição de panfletos e impressos em geral nos locais públicos da capital mineira causa apreensão do material e multa de R$ 3.399,07, tanto ao entregador de panfletos quanto ao anunciante. A proibição está prevista na Lei 10.534/2012 e inclui a panfletagem feita nos passeios, praças e vias, entre outros espaços. 

Colocar o anúncio em para-brisa de veículos ou lançá-lo de aeronave e edificações também configura uma infração à legislação municipal. Na capital mineira, são permitidos apenas os panfletos institucionais distribuídos em campanhas de utilidade pública realizadas pelo poder público como, por exemplo, mobilizações na área de saúde e informes sobre alterações de trânsito. 

Existe outra alternativa para fazer propaganda de baixo custo?

A panfletagem é procurada por muitos empreendedores devido ao seu baixo valor de investimento, visto que a produção de mil panfletos custa, em média, R$ 300. Ele também tem a vantagem de atingir todo tipo de público. Por isso, o que muita gente tem se perguntado é: com a proibição da panfletagem, qual será a alternativa para fazer publicidade sem gastar tanto?

A propaganda em saco de pão personalizado é uma alternativa de baixo custo e alto impacto para quem está interessado em fortalecer tanto o marketing offline, que é o nicho do marketing que pensa técnicas voltadas para fora do âmbito digital, quanto o local store marketing, que é basicamente o marketing de vizinhança.

Considerada a maior microfranquia desse segmento no  Brasil, a PremiaPão é especializada na comercialização de publicidade em saco de pão biodegradável. Cerca de 30 milhões de saquinhos já foram produzidos pela empresa que já ultrapassou a marca de 15 mil anunciantes. 

A PremiaPão está presente em praticamente todas as regiões do Brasil. Portanto, ao escolher a microfranquia para anunciar o seu negócio, você pode estar tanto em uma grande capital ou em uma pequena cidade do interior. Com, em média, R$500 investido, o empreendedor consegue contratar uma tiragem de 30 mil sacos de pão biodegradável. Esse número de saquinhos atinge um alcance de cerca de 120 mil pessoas impactadas.

O pão é o queridinho na mesa dos brasileiros. Estima-se que 98% da população brasileira consome pão diariamente, sendo o pão francês o mais popular, escolhido por 58% dos consumidores. Por ser um produto novo e diferente de todas as mídias de publicidade que o consumidor está acostumado, o saco de pão personalizado é inovador. 

panfletagem

Isso é uma vantagem porque produtos modernos como esses atraem a curiosidade das pessoas, aumentando as chances de o consumidor se interessar pelas empresas que anunciaram naqueles saquinhos. 

Para além dos anúncios, os sacos também oferecem ao consumidor a chance de ganhar grandes prêmios todos mês. A PremiaPão premia os cliente através de um sorteio nacional. Já foram distribuídos mais de R$ 160 mil em prêmios. E a empresa também permite que o anunciante, além de divulgar a sua marca, disponibilize cupons de sorteios ou de descontos aos seus clientes.

Esse tipo de estratégia de marketing promocional auxilia a aumentar as vendas e a criar um vínculo de fidelização do público final com o anunciante. Neste vídeo do canal da Premiapão você pode saber mais sobre o marketing promocional.

Outro diferencial do saco de pão personalizado é que ele é completamente visual e  pensado para valorizar o conteúdo de imagem da sua marca. Sendo assim, se você escolher anunciar o seu negócio com exclusividade no saco da PremiaPão, todo os espaços do saquinho serão aproveitados, garantindo a visibilidade que o negócio precisa. 

Além disso, o saquinho produzido pela PremiaPão é biodegradável, produzido com papel certificado pela FSC (Conselho de Manejo Florestal), respeitando os mais rigorosos padrões de qualidade, e possibilitando a eliminação do uso de sacolas plásticas que demoram de 100 a 400 anos para se degradar no ambiente.

Por ser biodegradável, o saco de papel da PremiaPão se decompõe com mais facilidade e é feito através de uma composição orgânica. Por isso, os agentes biológicos naturais são capazes de destruir os resíduos, evitando a poluição do solo e da água. De acordo com especialistas, um produto é considerado biodegradável quando se decompõe em uma escala de tempo de semanas ou meses. 

Além da utilização de um material 100% biodegradável na confecção dos sacos de pão, a PremiaPão também são utiliza tintas atóxicas feitas a base de água na produção desses saquinhos, garantindo a saúde e bem-estar dos consumidores. 

Esse tipo de produto dissolvido com água oferece menores riscos de contaminação do ambiente, pois elas não emitem os chamados compostos orgânicos voláteis (VOC) na atmosfera. Além disso, as tintas atóxicas feitas a base de água são menos prejudiciais à saúde, reduzindo problemas como irritações da pele e alergias respiratórias, além de apresentar menos risco de intoxicação para quem o manuseia. 

Também é importante destacar que, durante a produção do material gráfico dos saquinhos da PremiaPão, que têm o formato de 5kg, com capacidade para até 10 pães, há um cuidado e atenção para que todos os espaços sejam aproveitados para a publicidade, havendo zero desperdício.

Propaganda em saco de pão funciona?

Há diversas alternativas acessíveis para viabilizar a publicidade de uma empresa de forma eficaz e sem exigir valores excessivos. O caso do saco de pão personalizado é excelente para ilustrar de forma prática como uma mídia pode ser barata e eficiente, trazendo retorno assertivo para os anunciantes. 

Independente do tamanho do seu negócio, a publicidade em saco de pão é uma ótima estratégia para impulsionar o marketing de vizinhança. Cerca de 15 mil empresas já anunciaram no saco de pão personalizado da PremiaPão – desde microempresas até multinacionais.

Entre essas empresas, está o centro médico e laboratório Labocliv. Com mais de 20 anos de experiência no mercado, a empresa tem 20 unidades de atendimento na região de Santo Antônio de Jesus, na Bahia, e resolveu investir em uma mídia de alto impacto e baixo investimento.

“A gente consegue chegar na casa do cliente em um referencial positivo, no pão de todo dia. Há uma circulação diária disso, você consegue atingir um público maior. Além disso, tem todo o marketing que é feito, com campanhas de promoção vinculando a marcas positivas, sorteios também”, afirma Tatiana Schleu, representante da Labocliv.

Segundo Tatiana, o feedback dos clientes foi positivo. “É essa coisa diferente de você transformar um simples saco de pão, que antes era algo que você jogava fora e hoje você traz isso como uma mídia. A gente viu que realmente surtiu efeito usar esse tipo de mídia. E a gente viu a seriedade da empresa, a qualidade da impressão, o cumprimento dos prazos. Está sendo muito benéfico para a Labocliv”, afirma.

Neste vídeo do canal da PremiaPão no Youtube você pode conhecer mais sobre a Labocliv e as estratégias de publicidade utilizadas pela empresa. Para saber mais sobre a PremiaPão, clique aqui.

Outra empresa que utilizou os serviços de publicidade em saco de pão foi a Rappi. Um dos principais aplicativos de entrega sob demanda do país, a Rappi anunciou com a Premiapão e conseguiu alcançar o aumento nas vendas. “Achei a proposta inovadora. Quando a gente vê o resultado, o saquinho pronto, os usuários entrando no aplicativo de semana a semana, a gente se empolga”, afirma o growth leader da Rappi no Nordeste, Vitor Marques. 

A campanha da Rappi com a PremiaPão foi veiculada na cidade do Recife, durante os meses de novembro e dezembro de 2018, com saquinhos exclusivos. “O que me impressionou foi a quantidade de compras. A gente viu que quase 100% das pessoas que entraram na Rappi por conta da PremiaPão voltaram a comprar. Para gente, foi muito bom”, afirma Vitor. 

Propaganda em saco de pão personalizado X Panfletos

Quantas vezes você parou para receber um panfleto e leu realmente o que estava anunciado ali? Embora atinja todo tipo de público e tenha baixo custo de investimento, esse tipo de anúncio tem baixo retorno. Primeiro, porque as pessoas têm grande resistência em receber os panfletos.

Segundo, esse tipo de publicidade não é segmentada, ou seja, é distribuída de forma aleatória para o público que aceitar receber. Além disso, os folhetos não têm impacto a longo prazo sobre os consumidores. Outra questão é que, quando o pedestre joga o panfleto da sua marca no chão, indiretamente, sua empresa também estará sujando a cidade.

Enquanto isso, os sacos de pão impactam, em média, 120 mil pessoas para cada 30 mil saquinhos produzidos. Além disso, o tempo de exposição do produto é longo – em média de 30 a 60 dias. Outra questão é que a PremiaPão faz a distribuição dos saquinhos de forma segmentada, distribuindo o material em, em média, para 10 padarias locais parceiras, sem custo para o dono, atingindo clientes que são o público-alvo do anunciante e que são da região do seu negócio.

Essa distribuição segmentada do saco de pão biodegradável com publicidade é feita de forma inteligente pela PremiaPão: a empresa identifica através da geolocalização da cidade quais padarias estão propícias a entregar a mensagem de mídia daquele anunciante. Durante a análise, também é levado em consideração o perfil de consumo.

Quando os saquinhos ficam prontos, são enviados diretamente para casa do franqueado, que fica responsável por entregar o material em padarias parceiras da região. Como os estabelecimentos recebem os saquinhos de forma gratuita, a aceitação das padarias para receber o material é alta.

Esse é mais um ponto positivo porque além da contratação dos serviços da PremiaPão não ser burocrática, você também não precisará ter o gasto extra de contratar uma pessoa para entregar o material, como seria no caso dos entregadores de panfletos.

Também diferentemente dos panfletos, a publicidade em saco de pão tem 100% de aproveitamento e acompanha o consumidor até a sua casa, não correndo o risco de ser jogado no lixo. Além disso, é um produto ecologicamente correto, já que é feito de material biodegradável e com tintas atóxicas feitas a base de água.

A iniciativa sustentável da PremiaPão também se estende até os franqueados da empresa, que recebem em seu kit franquia um material profissional completo para sua operação no dia a dia, e grande parte dele é composto de material reciclável. Canetas de papelão, pen drive de bambu, ecobags de algodão cru, são alguns dos itens.

Em 2017, em parceria com a Iniciativa Verde, a empresa também realizou uma ação no Dia da Árvore. Através de um post nas redes sociais, a PremiaPão trocou as curtidas por árvores plantadas. Além disso, todos os meses, a PremiaPão se comprometeu em plantar uma árvore a cada tiragem de produção de saquinhos. Mais de 100 árvores já foram plantadas.

É importante destacar que essa questão sustentável tem sido fortemente levada em consideração pelos consumidores. Segundo um estudo realizado pela IBM, em parceria com a National Retail Federation (NRF), os consumidores estão priorizando empresas que são sustentáveis, transparentes e alinhadas com seus principais valores ao tomar decisões de compra.

Já outra pesquisa realizada pela Opinion Box apontou que 65% dos brasileiros entrevistados deixariam de comprar produtos de uma marca caso ela poluísse o ambiente.

“Ser responsável e promover a sustentabilidade ambiental e econômica era nossa missão desde o início. Quando eu e meus sócios pensamos na ideia da PremiaPão, fomos bem firmes em estabelecer desde o início uma cultura empresarial que levasse a sustentabilidade para cada aspecto do nosso negócio”, explica o CEO da PremiaPão, Raphael Mattos.

Além do benefício para o meio ambiente, empresas ligadas a sustentabilidade também acabam criando uma imagem positiva com os clientes e potenciais clientes, contribuindo para a credibilidade e confiança junto aos consumidores, fornecedores e investidores.

Ficou interessado na publicidade em saco de pão personalizado? Neste vídeo no canal da PremiaPão no YouTube o CEO da empresa, Raphael Mattos, vai te explicar todos os motivos pelos quais você deve investir na mídia de saquinho de pão. Você também pode entrar no site da PremiaPão para conhecer mais sobre a empresa e saber como anunciar o seu negócio nos saquinhos.